SME PROMOVE ENCONTRO PARA DISCUTIR A PROPOSTA POLÍTICO PEDAGÓGICA “PELO DIREITO DE APRENDER”

11/06/2019 | Assessoria de Comunicação

Numa iniciativa da Secretaria Municipal da Educação de Itabuna (SME), através do Departamento da Educação Básica (DEB), foi realizada na sede do Centro Técnico de Educação Profissional (CETEP Litoral Sul II), em Itabuna, na última quinta-feira (06), o encontro do grupo de trabalho composto por diversos representantes da Educação, com fins de debater a Proposta Político-pedagógica “Pelo Direito de Aprender”, que atualmente está implantada na Rede Municipal de Ensino.

O encontro foi ensejado por uma orientação específica da secretária municipal da Educação, professora Nilmecy Gonçalves, que entendeu que é necessário que haja um aprofundamento cada vez maior sobre o que se conduz, em termos de melhorias da qualidade de ensino, no escopo da proposta, e que precisa efetivamente ser colocado em prática com vistas ao resgate da credibilidade do ensino da rede, combate à evasão escolar e garantia do direito de aprender, tal qual se esboça como denominação da atual proposta.

O encontro teve como público-alvo todos os 40 integrantes que foram destacados através da Portaria 012/2017, entre os quais estão componentes das assessorias de ensino do DEB (Ensino Fundamental Anos Iniciais, Educação Fundamental Anos Finais, Educação Inclusiva, Educação do Campo, Educação de Jovens e Adultos), além de professores, coordenadores e diretores de todas as etapas de ensino.

Como convidado, o professor Tiago Nicola Lavoura, integrante do Departamento de Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), PhD em Psicologia e Educação, explanou sobre a Pedagogia Histórico-Crítica, cujo principal precursor, no Brasil, é o professor Dermeval Saviane. A Pedagogia Histórico-Crítica é a teoria que baseia a construção do sistema de ensino “Pelo Direito de Aprender”.

Para a secretária da Educação, professora Nilmecy Gonçalves, “esses encontros são necessários para que se promova a reescrita da proposta, de modo a permitir que sua prática esteja cada vez mais atualizada e presente no cotidiano da prática escolar, nas unidades de ensino, promovendo integração, manutenção dos alunos na escola, qualidade do ensino e melhoramento dos indicadores da rede”, enfatizou a secretária.