Aedes Aegypti: Índice de infestação predial caiu para 8,3% em Itabuna

12/04/2019 | Assessoria de Comunicação

Uma boa notícia que vem trazendo um alívio significativo para o itabunense tem sido a redução do índice de infestação predial pelo mosquito Aedes Aegypti – transmissor da Dengue, Zica e Chikungunya. De acordo com o Departamento de Vigilância Epidemiológica, que é vinculado a Secretaria Municipal de Saúde, o índice de infestação caiu para 8,3%, e um reflexo positivo desta queda tem sido também a redução nas notificações das doenças causadas pelo mosquito.

De acordo com Roberto Góes, coordenador de Endemias, essa é a menor redução já registrada nos últimos anos. “Nós temos conseguido reduzir esses índices graças ao esforço coletivo da sociedade. É motivo para comemorar, é sim, mas não é motivo para descansarmos, precisamos trabalhar mais, pois o limite de infestação tolerável pelo Ministério da Saúde é de 1%, caso contrário, ainda existe o risco de proliferação do mosquito”, alerta.

E lembra que em 2015 a cidade registrou o maior índice, chegando a 26% de infestação predial, quando foi decretada situação de emergência em Itabuna. “Nosso trabalho de combate ao mosquito vem sendo intensificado desde 2017, mas é preciso que a comunidade continue colaborando, tendo muito cuidado com os locais que podem servir de criadouro do Aedes Aegypti”, frisa Roberto Góes.

Ele finaliza informando que nos três primeiros meses deste ano foram notificados 62 casos suspeitos de dengue, com 11 confirmações. “Para a Zica, foram quatro notificações e nenhuma confirmação. Do mesmo modo para Chikungunya, registramos duas notificações e nenhuma confirmação”.
________________________________
Texto: Kaline Ribeiro
Fotos: Pedro Augusto/Hélio Fonseca