ESCOLA MARGARIDA PEREIRA ORIENTA SOBRE VACINAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

16/01/2019 | Assessoria de Comunicação

Atendendo a um protocolo de orientações dos Ministérios da Educação e da Saúde, em que um dos documentos a serem apresentados pelas famílias no ato da matrícula dos alunos nas escolas, neste ano de 2019, é o Cartão de Vacinação atualizado, a Escola Municipal Margarida Pereira, no bairro Pedro Gerônimo coordenou, na última quinta-feira (10), um encontro dos estudantes com profissionais da área de saúde, numa articulação que contou com o apoio da Secretaria Municipal da Educação de Itabuna (SME) e Secretaria Municipal de Saúde, através do Programa Saúde na Escola (PSE); e envolveu ainda a Assessoria de Saúde Escolar do Departamento da Educação Básica (DEB) da SME; a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), através do Grupo de Pesquisa em Educação Matemática, Estatística e em Ciências (GPMEC), do Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas (DCET); e a Unidade de Saúde da Família João Monteiro, do bairro Pedro Gerônimo.

O diretor geral da escola, professor Érico José dos Santos, explicou que a ação teve como público-alvo os estudantes do 6º ao 9º anos e configurou uma das metas do Projeto de Desenvolvimento Profissional de Professores que Ensinam Matemática (D-ESTAT), coordenado pelo GPEMEC nas escolas parceiras. “O objetivo dessa ação foi o de fazer o levantamento dos estudantes que não receberam as vacinas básicas de cada faixa etária. Esses dados serão informados ao posto de saúde que, com a ajuda dos agentes comunitários, tomarão as medidas cabíveis para completar as vacinas desses estudantes”, explicou o diretor.

Na oportunidade, a assessora de Saúde Escolar do DEB/SME, Fátima Santa Fé Borges, fez a apresentação do Programa Saúde na Escola e a enfermeira Dândara Oliveira, juntamente com a qeipe de agentes de saúde da família (ASF’s), orientou sobre os aspectos gerais de cada vacina, sua importância e seus resultados. Um reforço especial nas abordagens esteve uma doença, no Brasil, que já parecia erradicada, que é a Poliomielite (também conhecida como Paralisia Infantil) e também para a imunização e prevenção de doenças que envolvem diretamente os adolescentes. Os estudantes participaram de forma ativa.

A enfermeira Oliveira destacou que “esses momentos são ricos para escola, para o posto de sáude e para a comunidade, já que, a partir dessa união é possível combater diversos fatores que dificultam os resultados satisfatórios das campanhas de vacinação, como a negligência familiar”, disse, ressaltando ainda que, atualmente, as pessoas não são obrigadas a se vacinarem. Porém, há lei que ampara o cidadão em relação ao direito a vacinação. “Se por acaso, a família perdeu o Cartão de Vacinação da Criança e do Adolescente, e houver dúvidas sobre se uma outra vacina deixou de ser ministrada, é preciso fazer um novo cartão e reiniciar os ciclos, respeitando-se os intervarlos”, alertou a enfermeira.

No contexto pedagógico do ensino e da aprendizagem, todos os dados foram apresentados para os estudantes relacionando-os com conteúdos e temas abordados em sala nas áreas de Estatística e Matemática. A ação envolveu diretamente cerca de 300 alunos, com idades entre 11 e 15 anos. A Escola Margarida Pereira oferece cursos do 1º ao 9º anos, nos turnos matutino e vespertino, para crianças de 6 a 15 anos.