Campanha de Solidariedade O RIO CACHOEIRA É GRANDE?

05/12/2018 | Assessoria de Comunicação

O Rio Cachoeira é grande. Não é grande por causa da sua extensão, não é grande de uma margem à outra. Comparado com outras correntes de água doce existentes no Brasil, podem chamá-lo de “um filete de água”. Mas, é nosso. Todo nosso. E, por isso ele é grande.

O Rio Cachoeira é uma das nossas identidades mais emblemáticas. Corta, transfigura, viaja de cidade em cidade, se transformando, se transmutando, nos transformando até virar oceano.

De vez em sempre fica manso. Mas de vez em quando fica forte. Ele se lembra que é “rio”. E se rompe em si com suas águas, fortes, viscerais, naturais, “enchentes de nós”.

Nós, com problemas. Ele, cheio de nós, relegando-nos, pedindo menos, socorro, “estou morrendo e vivendo, morrendo e vivendo”, a cada novembro.

Por causa dos “nós”, causamos estranhezas, crises existenciais, nosso rio cheio de “ais”.

Nosso rio (doce) virou canal, marginal, intruso em seu próprio caminho. Sujo e sem carinho. Mal cuidado, mal amado. Nosso rio, riozinho.

E quando ele se enche disso tudo, não é que ele fica bonito? Fica cheio, fica rico. Nosso Cachoeira fica VIVO.

Nosso rio não vê cidade, nosso rio não vê mapa, nosso rio não vê caridade, porque isso é o que lhe falta.

E o nosso rio, tão cheio, deixa de ser bonito, (fica feio?).

Fica transbordado, transtornado, água dura em pele mole, tanto bate até que fura.

E as pessoas ficam sem chão, sem pão.

Por isso, então, nosso rio, riozinho, riozão, por onde passa deixa desabrigados.

Pessoas sem casa, sem lar, sem referência e nem lugar, para onde vão, só têm “não”.

Sem lugar para descansar, para dormir, a prefeitura tenta ajudar, naquilo que é possível conseguir.

E aí o nosso rio, riozão, ganha uma outra dimensão. Ele é grande, muito grande, do tamanho do nosso coração.

Então abra! Se abra! Ajude! Tem gente precisando. Gente querendo dormir, descansar, igual ao nosso rio, quando calmo ele está.

Mas, agitado que só ele, muitos perdem tudo, não têm para onde ir, nem para onde vir.

Então, se puder, corra! Doe um colchão. Um leito para que os que padecem, possam dormir.

E que o nosso rio também encontre o sono. E neste sono, esteja o sonho, que algum caminho possa existir. Um rio límpido, doce, cheio. Com ternura, sem receio, de um povo que insiste em não se redimir.

FAÇA PARTE DESSA CAMPANHA. DOE UM COLCHÃO PARA QUEM PRECISA. (Estamos precisando de colchões, lençóis, cobertores, fronhas, travesseiros, roupas e água mineral. Ajude-nos! Entregue a sua doação na Secretaria da Educação de Itabuna – Centro Administrativo Firmino Alves (Prefeitura) – Avenida Princesa Isabel, 678 – São Caetano, nesta quarta e quinta [6 e 7/12], nos horários das 9h às 15h – Informações completas no WhatsApp 73 98809 3838 – Falar com Eric Souza).

Texto: Eric Thadeu Nascimento Souza.
05.12.2018