Prefeitura de Itabuna confirma encontro técnico para discutir o CEFIR na próxima sexta-feira (14)

12/09/2018 | Assessoria de Comunicação

Está confirmada para a próxima sexta-feira (14), a reunião técnica com a participação do prefeito Fernando Gomes, secretários e diretores municipais e representantes do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS), do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), do governo do estado e de mais 36 municípios da região. O encontro tem início às 9 horas, no auditório da Associação Comercial de Itabuna e servirá para discutir assuntos relacionados ao Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR).

O encontro visa também orientar aos participantes sobre o que é o Cefir, a importância desse cadastramento, os prazos para a entrega da declaração e outras demandas relacionadas. O diretor do Departamento de Agricultura da Secretaria de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente de Itabuna, Erlon Botelho, explicou que o Cefir é um cadastro eletrônico com dados básicos das propriedades rurais e cuja declaração é obrigatória por parte dos proprietários rurais.

“O cadastro é importante porque serve de auxílio para o controle e fiscalização das atividades rurais e o mais importante, vai contribuir para o desenvolvimento de Políticas Públicas destinadas ao setor”, justificou o diretor. Sobre a reunião de sexta-feira, ele disse que inicialmente estava restrita apenas a Itabuna, mas devido sua importância para o setor, o prefeito Fernando Gomes junto com os representantes das instituições abriu espaço para atender a outros municípios produtores do Sul da Bahia.

Erlon reforçou também a importância da participação de todos no encontro, uma vez que na primeira etapa do CEFIR realizada este ano, não foram supridas todas as demandas, a exemplo existência de documentos com condicionantes e produtores que ainda não haviam feito o CEFIR. “Será um momento oportuno em que o Conselho Rural Sustentável, depois de sua reestruturação, atenderá de fato o produtor, o que não vinha sendo feito há vários anos”.