Ministério Público do Trabalho promove capacitação para agentes da rede proteção infanto-juvenil

29/11/2017 | Assessoria de Comunicação

O Ministério Público do Trabalho por intermédio do Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente (Fetipa) e da Coordinfância Regional do MPT quer que o Sistema da Rede de Proteção Infanto-juvenil esteja estrategicamente montado e ainda mais fortalecido para o enfrentamento ao trabalho infantil.

Foi com este objetivo que a instituição promoveu, na manhã desta quarta-feira (29), o dia de capacitação sobre atuação dos agentes de proteção na erradicação do trabalho infanto-juvenil. A capacitação no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Itabuna foi ministrada pela procuradora do Trabalho, Ana Carolina Lima Vieira Ribemboim e reuniu os conselheiros tutelares, integrantes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e demais agentes que integram a rede de proteção da criança e do adolescente (diretores, professores, secretários).

A secretária de Assistência Social de Itabuna, Sandra Neilma Costa que prestigiou o evento, reforçou a iniciativa do MPT, destacando que a capacitação do profissional que participa na rede de proteção da criança e do adolescente vai permitir melhor atuação e entender melhor o papel do agente no trato com criança e com o adolescente e somar às ações executadas pela SAS.

Sandra Neilma lembra que o município disponibiliza importantes programas sociais destinados a todos aqueles que enfrentam situação de vulnerabilidade, principalmente crianças e idosos que tem seus direitos violados. “Nosso trabalho tem sido identificar e inserir as famílias desestruturadas nas politicas públicas, um complexo de benefícios que incluem saúde, moradia, educação, uma ação social sem ser assistencialista”. 

A secretaria destaca ainda que é quase que humanamente impossível acabar com a pobreza, mas os programas desenvolvidos em parcerias como a do MPT por exemplo, contribuem de forma significativa para minimizar o sofrimento de tantas famílias que vivem à margem da sociedade e garantir o direito à uma vida melhor, em especial a criança e o adolescente vitimas do trabalho infantil.

Fortalecimento da rede de proteção infantil

A diretora de Proteção Social Especial de Média Complexidade da Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), Rosana Bandeira, é outra que reforça a importância de um trabalho conjunto com instituições públicas ou particulares para o combate à exploração a que crianças e adolescentes são vítimas diariamente. “Erradicar o trabalho infantil e assegurar os direitos da criança e do adolescente não é uma tarefa fácil, mas com a união de esforços de todos, podemos conseguir atender e inserir um maior número de pessoas na politicas públicas sociais”.
________________________________
Texto: Rosi Barreto
Foto: Waldir Gomes