Secretário de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente destaca atuação da CEPLAC

19/09/2017 | Assessoria de Comunicação

A Prefeitura de Itabuna tem buscado em instituições científicas o apoio técnico necessário para a formalização e execução de projetos que visam retomar o desenvolvimento socioeconômico da cidade. Ao entender que essa é uma alternativa que pretende fortalecer as ações da gestão municipal, o prefeito Fernando Gomes destaca a atuação da Ceplac enquanto instituição que contribui com o desenvolvimento regional. Na última segunda-feira (18), o secretário de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente, John Vinícius Nascimento, ressaltou esse empenho de todos em revitalizar este órgão que é pioneiro em pesquisas na região cacaueira.

Ao discursar no evento que marcou a apresentação da Lei sancionada pelos municípios de Jussari e Ibirapitanga que reconhece o trabalho e a presença da CEPLAC como patrimônio imaterial de seus Municípios, John Nascimento enfatizou a importância dessa união de todos em prol da revitalização do órgão para que a sua produção possa voltar a crescer. Para John, “a CEPLAC não é só da região, de Itabuna ou de Ilhéus, mas é um órgão de todo Brasil e só através da união das cidades será possível fortalecer esse patrimônio”.

Ele comentou ainda que Itabuna já está fazendo parcerias com a CEPLAC e, através do Departamento de Agricultura da Sema, sob o comando do agrônomo Erlon Botelho, está sendo possível estreitar esse elo de ligação com a instituição. “Nesse sentido de propor ações, já saímos na frente e apresentamos ao prefeito, os projetos de assistência técnica e rural e o projeto que torna Itabuna uma cidade Amiga das Abelhas. Ele foi sensível dando todo apoio e suporte para execução dessas atividades”, enfatiza John.

Destacando o papel de protagonismo que Itabuna possui na região, por ser uma cidade polo nas áreas do comércio, educação e com uma agricultura familiar forte, o secretário reconheceu a assistência da CEPLAC em todos esses segmentos que inclui ainda a produção de cacau. “O maior patrimônio da CEPLAC são as pessoas que a compõe, são os doutores que nela estão e o conhecimento produzido. Precisamos manter esse patrimônio, mostrar vitalidade e a força dessa casa e trabalhar para que seja possível ampliar essa rede de produção e pesquisa”, conclui.

__________________________________
Texto: Wilson Junior