Censo vai pesquisar dados em 750 estabelecimentos agropecuários de Itabuna

25/08/2017 | Assessoria de Comunicação

O primeiro passo para a realização de Censo Agropecuário de 2017 em Itabuna, que deve coletar dados em 750 estabelecimentos na área rural, no período de setembro de 2017 a fevereiro de 2018, foi dado com a formação da Comissão Municipal de Geografia e Estatística (CMGE), durante reunião realizada no Centro Administrativo Firmino Alves.  A CMGE é formada por representantes do Executivo, o que envolve as diversas secretarias, além do Legislativo, Judiciário e de instituições da sociedade civil organizada, sob a presidência do chefe da agência local do IBGE, Luiz Mafra de Santana.

            Ele explica que a comissão visa dar maior transparência ao trabalho do IBGE e ao mesmo tempo acompanhar os trabalhos do Censo Agropecuário, que é realizado de dez em dez anos, com o levantamento de informações sobre agricultura, extração vegetal, silvicultura, criação de animais, bem como o beneficiamento e transformação de produtos agropecuários.

            O chefe da agência do IBGE informa que o trabalho em Itabuna mobilizará uma equipe de cinco supervisores e dois recenseadores que vão utilizar em campo equipamentos DMC – dispositivo móvel de coleta -, atuando na identificação de todas as atividades econômicas que envolvem a produção agrícola. Cabe salientar que entre os 750 estabelecimentos que serão visitados, cerca de 500, o que representa mais de 60% do total envolvem atividades ligadas à agricultura familiar.

            Luiz Mafra Santana destaca que Itabuna além de ser um município essencialmente urbanizado, concentra 97,5% dos habitantes na área urbana e apenas 2,5% na zona rural. Diferentemente do Brasil, em que a agricultura contribui com 23% do Produto Interno Bruto, em Itabuna, o setor agrícola participa com menos de 1% do PIB, por conta da monocultura do cacau, que enfrenta problemas desde a eclosão da vassoura de bruxa nas plantações, o que afetou a cadeia produtiva na região.

            Da reunião participaram ainda o Secretário de Sustentabilidade Econômica e Meio Ambiente, John Nascimento, que destacou a importância do censo para ampliação da base de dados econômicos e sociais do município com referência ao setor agrícola. Também participaram da formação do CMGE técnicos das diversas secretarias municipais, além do representante da Amurc, Luciano Veiga e técnicos da Ceplac, e várias instituições da sociedade civil organizada.

_____________________________________

 

Texto: Kleber Torres

Foto: Waldir Gomes