Cidade Universitária consolida Itabuna como polo regional ensino

02/08/2017 | Assessoria de Comunicação

O Projeto de Lei aprovado pelo legislativo que transformou Itabuna em “Cidade Universitária” foi comemorado pelo prefeito Fernando Gomes como parte de uma proposta mais ampla, que consolida Itabuna como principal polo de educação e serviços da região sul da Bahia, ampliando assim as perspectivas de geração de emprego e renda, atraindo investimentos para a área de ensino e de infraestrutura, incluindo habitação, hospedagem, alimentação e lazer. O projeto se amplia agora, com a inauguração das Faculdades Santo Agostinho, que implanta um novo curso de medicina e investe nas áreas de direito, engenharia civil e arquitetura.

O prefeito Fernando Gomes explica que o objetivo do projeto é colocar Itabuna num patamar das cidades favoráveis ao desenvolvimento da educação superior, criando facilidades para a implantação de novas instituições de ensino, desenvolvendo políticas específicas de incentivo à inovação e ao empreendedorismo universitário, bem como através do estabelecimento de convênios e parcerias com as empresas júnior e a iniciativa privada, no sentido da promoção do desenvolvimento integrado. Ele destaca ainda, que a proposta tem uma dimensão regional e transcende os limites de Itabuna, o maior polo populacional da região,

O gestor destaca como fatores favoráveis ao projeto a implantação do curso de medicina das Faculdades Santo Agostinho, que tem inauguração prevista para agora em 28 de julho e a necessidade de apoio do legislativo e da sociedade civil organizada. Ele também anuncia para os próximos meses a chegada a Itabuna de uma outra importante unidade de ensino superior, que se soma às demais instituições já em funcionamento, a exemplo da Universidade Federal do Sul da Bahia, da Unime, FTC e Unopar, além da própria Uesc.

Participação

Ele também lembra historicamente a sua participação não apenas na luta pela estadualização da Uesc, como também na implantação do seu curso de medicina, o primeiro da região, resultado de uma disputa política e de mobilização que envolveu lideranças regionais em conjunto com toda a sociedade civil organizada.

O prefeito observa que hoje, Itabuna com uma população de mais de 220 mil habitantes, tem milhares de alunos matriculados na Uesc e na cidade também residem centenas de professores, além de estudantes oriundos de outras cidades, que movimentam o mercado imobiliário, o comércio e o setor de serviços, gerando uma demanda crescente.

Em paralelo à implantação do novo curso de medicina das Faculdades Santo Agostinho, a prefeitura vai viabilizar convênios com o Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães e com a Maternidade Ester Gomes, para estágios de medicina, enfermagem, psicologia, nutrição e complementação da residência médica. O governo municipal também deve, ainda no próximo ano, disponibilizar uma área para implantação do campus das Faculdades Santo Agostinho e investe no apoio de outras instituição de ensino a São Salvador, que desembarca em Itabuna com novos cursos.

Projeto voltado para educação leva em conta a infraestrutura itabunense

A grande virtude da proposta da Cidade Universitária idealizada pelo prefeito Fernando Gomes leva em conta que Itabuna, por ser um polo da região Sul da Bahia, reúne um grande número de instituições de ensino superior com campus e escritórios locais que operam pelo sistema de ensino à distância EAD, que atendem a milhares de alunos matriculados. O projeto consolida a cidade como polo regional de educação e prestador de serviços, funcionando também como um centro de logística, fatores geradores de emprego e renda para mão de obra qualificada.

O projeto ressalta que seguindo o artigo 30 da Constituição Federal, compete aos municípios legislar sobre assuntos de interesse local. Desta forma o Programa Cidade Universitária propõe colocar Itabuna no patamar das cidades simpáticas ao estudante universitário, desenvolvendo políticas específicas de priorização do alunado, vocacionando-o em contrapartida para a prestação de serviços em locais de interesse público.

A lei aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito declara Itabuna como polo educacional e cidade universitária tendo como base a sua condição de centro regional de serviços na área de educação, saúde e como um importante centro financeiro. Ele enfatiza que a cidade reúne uma pluralidade de instituições de ensino superior, tanto públicas quanto privadas, se complementando com a implantação de outras duas instituições, com a oferta de uma gama de  cursos nas mais diversas áreas como direito, medicina, odontologia, engenharia, fisioterapia, contabilidade, pedagogia e outras profissões.

 Polo

Outro detalhe importante é que a lei leva em conta a condição de Itabuna como polo da microrregião do cacau, reunindo mais de 100 municípios no seu entorno, que direcionam diariamente milhares de alunos para as universidades e faculdades locais. A lei que declara Itabuna cidade universitária consubstancia os atos administrativos para a promoção e favorecimento da educação superior na cidade, com a finalidade de fomentar as práticas educacionais facilitando a acessibilidade e o manejo da infraestrutura de apoio às instituições de ensino superior, flexibilizando a atração de novos serviços e de investimento.

 Apoio

O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, José Vivaldo Mendonça, anunciou que Itabuna está incluída entre os 27 polos de desenvolvimento tecnológico da Bahia, os quais estão sendo implantados pelo governo em todas as regiões do estado. Ele também elogiou a transformação de Itabuna em uma Cidade Universitária, o que valoriza a educação, a cultura e o empreendedorismo numa área essencial para qualquer proposta de desenvolvimento.

Mendonça considera que inovação é isto que está sendo realizado em Itabuna através da parceria entre o Governo Municipal e a iniciativa privada no sentido de transformar a cidade num centro grande de ensino superior e de valorização da cultura.

Ele parabenizou o prefeito Fernando Gomes pela sua determinação e luta em defesa de Itabuna e da região, contribuindo para o seu desenvolvimento através da educação: “e o que vemos aqui é a união entre o governo, a academia e o setor produtivo com um objetivo comum, o que vai permitir avanços e inovações no rumo do desenvolvimento”, declarou o Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Outro entusiasta do projeto da Cidade Universitária é o empresário Edimar Margotto, ao considerar que a ideia se complementa com a chegada das Faculdades Santo Agostinho. Destaca que a lei chega no momento certo, quando “estamos preparando Itabuna e a região para a retomada do desenvolvimento, sob  o comando do Fernando Gomes, que vem fazendo isso com maestria, através da sua liderança e competência”.

______________________________________

Prefeitura Municipal de Itabuna

Assessoria de Comunicação Social

Texto: Kleber Torres

Foto:

19 de julho de 2017