Itabuna investe em equipamentos para o combate ao Aedes aegypti

21/03/2017 | Assessoria de Comunicação

Com parte das ações mobilizadoras para intensificar o combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya – a Prefeitura de Itabuna, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, acaba de adquirir cinco termonebulizadores (bombas fumacê) para reforçar o trabalho das equipes da Vigilância à Saúde e Combate às Endemias. O material adquirido foi apresentado ao prefeito Fernando Gomes na tarde da última segunda-feira (20), no pátio do estacionamento do Centro Administrativo Firmino Alves.

Na oportunidade, os agentes de Combate às Endemias fizeram uma demonstração do uso das máquinas que servem para inibir o processo de desenvolvimento da larva do Aedes aegypti. O prefeito Fernando Gomes voltou a afirmar que o combate ao mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya é prioridade nas ações do governo municipal, diante de um eminente risco de epidemia das doenças transmitidas pelo mosquito.

O coordenador de Endemias do município, Roberto Góis, ressaltou que apesar das bombas fumacês serem bastante importantes no combate ao Aedes aegypti, “não resolverão cem por cento o problema da infestação do mosquito; por isso, é preciso que cada morador mantenha vigilância permanente em suas residências, evitando todos os depósitos que possam conter água.”

Os cinco termonebulizadores (bombas fumacê) serão usados de acordo com as normas técnicas da DIVEP – Divisão de Vigilância Epidemiológica do Governo do Estado, obedecendo aos critérios técnicos preconizados pelo Programa Nacional de Combate a Endemias. No período matutino a aplicação do inseticida será das 5h às 7h da manhã, e noturno, das 18h à 20h. As portas e janelas devem ser abertas para que as partículas do veneno possam adentrar no interior da residência e agir com mais eficácia no combate à Dengue.

____________________________________

Prefeitura Municipal de Itabuna

Assessoria de Comunicação Social

Texto: Kleber Torres

Foto: Pedro Augusto

20 de março de 2017