Médicos do Cemepi participam de reunião com prefeito Fernando Gomes

17/03/2017 | Assessoria de Comunicação

O prefeito Fernando Gomes recebeu em audiência na quinta-feira (16), em seu gabinete, no Centro Administrativo, médicos do Centro Médico Pediátrico de Itabuna (Cemepi). Na reunião, que teve como finalidade discutir a atual situação financeira do Hospital, o administrador do Centro Pediátrico, Hormínio Rios, revelou que a crise na instituição foi agravada devido a falta de repasses por parte da gestão anterior, que deixou de repassar o saldo final do contrato de 2015, em restos a pagar para 2016 no valor de R$ 130.000,00 (cento e trinta mil reais).

Hormínio explicou que a falta dos repasses levou o Hospital a não quitar os honorários médicos referente a dezembro/16 e janeiro de 2017. Segundo ele, o convênio firmado com a Secretaria Municipal de Saúde em 2015, previa o repasse anual no valor de R$ 1.200.000,00 (Um milhão e duzentos mil reais) parcelado em 12 vezes, através da Secretaria da Fazenda. A verba era responsável pela manutenção do Centro Pediátrico e pagamento da equipe médica. Atualmente, diz o administrador, os médicos estão há três meses sem receber salários – final de março completa quatro meses.

Ele frisou que a gestão do governo Nilton Azevedo ficou sem repassar de um convênio anual de R$ 650.000,00 (seiscentos e cinquenta mil) o equivalente a R$ 450.000,00 (quatrocentos e cinquenta mil), ficando o Hospital sem ter condições de cumprir compromissos entre eles o pagamento em dia da EMASA.O hospital possui hoje R$ 181.000,00 (cento e oitenta e um mil reais) de um contrato prefixado com a Secretaria Saúde do Município – com vigência até 31 de agosto do ano em curso -, valor este que cai para 177.000,00 (cento e setenta e sete mil reais) em decorrência do desconto do ISS, com vigência até 31 de agosto do ano em curso.

O administrador salientou que o CEMEPI tem um gasto mensal de quase 300 mil e que o valor do contrato e convênio do ano de 2016 correspondia a 281.000,00 (duzentos e oitenta e um mil reais), para a manutenção do Hospital, que dava um equilíbrio entre receitas e despesas. Até o momento o Centro Pediátrico não celebrou um novo convênio com o município. O hospital possui 60 funcionários e 12 médicos.

O CEMEPI atende hoje, em média, cento e vinte crianças por dia – cerca de três mil por mês –  mais já chegou a atender seis mil, principalmente em 2016, quando o município viveu uma epidemia de dengue. Pacientes do SUS formam quase 90% da clientela. A Diretora de Planejamento da Saúde, Lísias São Mateus, “garantiu analisar o convênio e o contrato, e assegurou que a Secretaria de Saúde irá se empenhar para sanar as condições de pagamentos dos médicos, para que os mesmos possam continuar o atendimento no Hospital”.

Dívida com a EMASA

Durante a reunião, Hormínio Rios informou ao Prefeito Fernando Gomes que o Hospital possui uma dívida com a EMASA no valor de 246 mil reais. Na oportunidade ele solicitou a ajuda do gestor para quitar o débito. Fernando imediatamente ligou para o presidente da Emasa, Jader Guedes, solicitando a análise e posteriormente o parcelamento do valor.