Associação Grapiúna do Paraplégico apresenta reivindicações ao governo municipal

26/01/2017 | Assessoria de Comunicação

Integrantes da Associação Grapiúna do Paraplégicos (AGP) estiveram reunidos na última terça-feira (24) com a secretária de Governo da Prefeitura de Itabuna, Maria Alice Araújo Pereira, e com a diretora de Planejamento da Secretaria de Assistência (SAS), Lísias Miranda São Mateus, quando puderam apresentar ao governo municipal uma série de reivindicações relativas às ações de inclusão e assistência social, bem como da melhoria das condições de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida.

A secretária Maria Alice ressaltou que a reunião com a AGP foi uma determinação do prefeito Fernando Gomes, que solicitou a mobilização e o empenho de todas as secretarias municipais para que viabilizem meios de promover a inclusão dos paraplégicos itabunenses, assegurando seus direitos como cidadãos. “O entendimento do prefeito é que o governo tenha uma atenção especial para com estas pessoas, porque as diferenças deixam de existir quando passa a existir um olhar sensível à suas necessidades”, afirmou.

Neste sentido, assegurou a secretaria de Governo, a Associação Grapiúna do Paraplégico está tendo do nosso governo toda atenção e, com certeza, se isto não vinha acontecendo até agora, daqui pra frente será diferente. Maria Alice disse ainda que a articulação com a Secretaria de Assistência Social está sendo o primeiro passo para que seja definido um plano de ação com direcionamento, de acordo com as demandas apresentadas, para todas as áreas do governo.

A diretora de Planejamento da SAS adiantou que uma das primeiras solicitações apresentadas pela AGP diz respeito às dificuldades que eles vinham tendo para ter acesso aos serviços da Secretaria de Saúde, como por exemplo, o atendimento para Tratamento Fora de Domicílio (TFD), fornecimento de fraldas descartáveis e cadeiras de rodas.

O presidente da AGP, Bruno Santos Santana, disse que a reunião foi importante porque são várias demandas reprimidas por parte dos deficientes e que não foram atendidas pelo governo anterior. “Estamos confiantes que elas serão resolvidas pelo atual governo”, ressaltou. Ele lembrou que os associados da AGP sofreram muito diante das dificuldades de acesso aos serviços, principalmente na área de saúde.

“Muitas vezes, o deficiente saia aqui de Itabuna com destino a Salvador só com passagem e chegando à capital ficava perdido sem saber para onde ir”, lamentou Bruno. A Associação Grapiúna do Paraplégico completa, agora em 2017, 16 anos de atuação em defesa e promoção dos direitos dos deficientes e conta com 200 associados.

_______________________________________

Prefeitura Municipal de Itabuna

Assessoria de Comunicação Social

Texto: Erivaldo Bomfim

Foto: Hélio Fonseca

26 de janeiro de 2017